Em ano de Olimpíadas o assunto não poderia ser outro: Esporte. A prática esportiva traz muitos benefícios para a saúde do corpo e da mente, como já sabemos. Mas a realização de um treino ou competição podem causar lesões bem sérias na região orofacial. É nessa hora que entra o uso do protetor bucal esportivo. Já é comprovado que a sua utilização evita traumas orais e melhora o desempenho da performance do profissional. O dentista Claudio Etzberger explicou como esse acessório protege além dos dentes.

QUANDO O PROTETOR BUCAL É RECOMENDADO?

Seja você atleta profissional ou amador, o protetor bucal é recomendado, podendo ser usado na prática de muitos esportes, porém, para alguns casos, seu uso é obrigatório. Isso varia de acordo com as federações esportivas e os países. “Recomendo para praticamente todos os esportes, mas as modalidades de contato deveriam ser obrigatórias”, sugere Claudio.

EFICÁCIA

A eficácia do protetor bucal depende de vários fatores, como serem bem moldados e recortados, do material usado, da técnica utilizada, da espessura e de ajuste. Segundo dados da American Dental Association (ADA), mais de 200 mil traumas orais são evitados por causa do uso do protetor bucal durante uma competição ou treino.

Diversos estudos mostram a importância do uso da proteção, como a pesquisa da National Youth Sports Foundation (NYSF) em 2002. Segundo os resultados, os atletas de esportes de contato, como o boxe, basquete, vôlei e futebol, têm cerca de 10% a mais de possibilidade de sofrer lesões na face durante uma competição. Se o atleta usar o protetor bucal, consegue reduzir esse índice em até 60 vezes.

PROTEÇÃO ALÉM DOS DENTES

Os protetores absorvem o impacto do golpe, distribuindo a energia para uma superfície maior, reduzindo a força aplicada sobre um determinado ponto. “Além da proteção dentária, o protetor bucal protege os tecidos moles como gengiva e articulações”, afirma o especialista. Os riscos de lesões no cérebro, lesões na coluna cervical, fratura na mandíbula e tensão na ATM (articulação temporomandibular) também diminuem de forma significativa.

MODELOS DE PROTETORES BUCAIS

Segundo Etzberger, os protetores bucais para a prática esportiva são classificados em cinco tipos . “Descartando completamente os modelos do tipo ‘ferve e morde’, comprados em academias, os protetores tipo 3, 4 ou 5 são os mais indicados”, ressalta.

Tipo 1 – Pré-fabricados e encontrados nas lojas esportivas, com tamanhos limitados.

Tipo 2 – Os chamados ‘ferve e morde’. Feito de material termoplástico, deve ser colocado em água fervente por alguns segundos e depois colocado na boca do atleta para que se adapte à arcada dentária.

Tipo 3 – Modelos de uma única placa, feito sob medida em gesso da arcada dentária do atleta.

Tipo 4 – Os mais indicados pelos profissionais. Confeccionados com placa de EVA, podem ser fabricados protetores em diversas espessuras relativa ao esporte praticado.

Tipo 5 – Além das características do tipo 4, esse modelo é ajustado e mais equilibrado, segundo Claudio.

Fonte: sorrisologia.com.br